Conecte-se conosco

Notícias

Psiquiatras falam sobre Prevenção ao Suicídio neste Setembro Amarelo

No mês de Prevenção ao Suicídio, profissionais da saúde mental falam sobre a importância de conscientizar a sociedade sobre o tema

Publicados

em

Foto/Crédito Divulgação

Segundo a OMS, nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas, por meio da prevenção, ajuda e atenção adequadas. O Setembro Amarelo é uma Campanha de Prevenção ao Suicídio, criada no Brasil em 2015, idealizada pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria). Anualmente, empresas, pessoas e profissionais estampam a cor amarela, dando visibilidade e importância à causa. “É extremamente importante uma conscientização pública sobre o tema. É por isso que vestimos o amarelo. As Questões de saúde mental ainda são desvalorizadas por muitas pessoas. Quando alguém não está bem, quando o estado de infelicidade é recorrente, é preciso ter atenção. Questões de saúde podem estar em jogo e ouvir é a melhor forma de cooperar”, afirmou a Psiquiatra Marília Capuço, Mestra em Ciência da Saúde na Área de Neuromodulação e profissional, sobre a importância da campanha ao brasileiro.

De acordo com pesquisa realizada pelo IBOPE, 63% das pessoas entre 25 e 34 anos teriam vergonha de admitir um quadro depressivo à sua família. 23% dos adolescentes entre 13 e 17 anos enxergam a Depressão como um “momento de tristeza” e não uma doença grave. 39% dos adolescentes pesquisados ainda afirmaram que, caso recebessem diagnóstico de depressão, também não a revelariam a familiares. Já os jovens entre 18 e 24 anos não falariam do diagnóstico no ambiente de trabalho ou acadêmico. Porém 58% das pessoas com 55 anos ou mais acreditam na eficiência do medicamento.

“Tais dados são preocupantes. A Depressão não pode ser apontada como única causa do suicídio, porém, é uma das doenças mentais mais negligenciadas, por preconceito ou falta de informação. O tabu sobre a Depressão aponta para outras causas. Estamos em uma sociedade em que pouco se fala ou discute sobre transtornos e doenças mentais, que são estigmatizados de muitas formas. Quando alguém manifesta estar desesperado quanto a vida, não ver mais sentido ou não ter mais expectativas, é comum ouvir coisas como ‘seja mais positivo’, ‘não diga bobagens’ ou ‘faça algo para ocupar a mente’.  Esse tipo de resposta padrão é dada especialmente a pessoas jovens, que tendem a não receber a devida atenção. O suicídio não escolhe idade.

Muitas vezes problemas psíquicos caminham com problemas físicos. A angústia, o quadro de ansiedade, são dores comparáveis a dor física. Nesta campanha de conscientização, incentivamos às pessoas, no geral, a compreenderem que ninguém escolhe estar por muito tempo em uma situação incômoda.  Recomendamos a empatia, a escuta, a paciência e o respeito. As pessoas têm vergonha de manifestar sua dor, pois temem o que podem ouvir. O ouvir sem julgar, com compreensão e recomendações de cuidado é uma atitude nobre e amiga. E pode salvar vidas. Com carinho e cuidado, você pode também recomendar o tratamento adequado. Passar com os profissionais da Saúde Mental é tão necessário como o passar com outras especialidades médicas. ”  Disse a Psiquiatra Dra. Ana Carolina Olmos, que também é especialista em Saúde Mental na Infância e Adolescência, pela Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto).

“Neste Setembro Amarelo, vestiremos a clínica da cor. Incentivamos o sentimento comum de atenção. Vamos ouvir as angústias do outro. Vamos dar ouvidos, demonstrar presença. É um gesto solidário e amigo. Vamos também falar mais sobre saúde mental. Você orientaria alguém com constante dor de estômago ao Gastroenterologista, não? Porque não incentivar quem está em um estado de angústia, a uma consulta? Depressão, transtorno de ansiedade, síndrome do pânico entre outros problemas por vezes são confundidos como mal-estares emocionais, como se o emocional não fosse um sintoma! É importante ouvir e aconselhar. Mas é importante também a busca por ajuda profissional. Em nossos atendimentos, realizamos a escuta Especializada, o Acolhimento em um atendimento humanizado. Como qualquer tratamento médico, questões de transtornos e doenças mentais também tem sua prescrição medicamentosa. Acompanhe seu amigo (a), colega (a) e familiar ao Consultório. Isto é amor, é cidadania, é a mensagem do Setembro Amarelo!” Incentiva a Dra. Marília Capuço, a todas as pessoas.

Outra questão importante, durante a Campanha do Setembro Amarelo é o prestar apoio a famílias que perdem um ente querido devido ao suicídio. “A solidariedade por conta da família e comunidade, é fortalecedor às famílias que sofreram a perda de alguém. O acompanhamento terapêutico, por conta dos familiares, também é essencial. O suicídio é uma questão de saúde pública. Todos devemos estar engajados. Da prevenção ao cuidado com entes queridos que perderam alguém.”

Sobre a Cogitare Psiquiatria

A Cogitare Psiquiatria é uma clínica que encara o ser humano de forma global, considerando os cenários que compõem a saúde do indivíduo. Atuando em conjunto com outras especialidades médicas e da saúde mental, a Cogitare atende cada paciente de forma humanizada, com o Trabalho de suas especialistas. Situada em São José do Rio Preto, ela atende pessoas de todas as idades.

Dra Ana Carolina é Especialista em Psiquiatria pela ABP e AMB e conta com Especialização em Saúde Mental na Infância e Adolescência, realizada pela Famerp, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto.

Dra Marília é Especialista pela ABP e AMB e é Mestra em Ciência da Saúde na Área de Neuromodulação. Também é Diretora Técnica do Hospital Espírita João Marchesi.

Contato: (17) 9 8223-0910

Francisco das Chagas Fernandes de Souza, 34 anos, servidor público (Gari), conhecido como Chaguinha Net. Em 2011 criou o Blog do Chaguinha Net e em 2018 foi além e criou o Portal Potengi News, possibilitando para a Região do Potengi um espaço virtual de qualidade e credibilidade. Aqui você pode conferir as principais notícias da Região Potengi, Rio Grande do Norte, Brasil e do Mundo.

Notícias

EMPROTUR apoia captação de evento internacional para o RN

Publicados

em

De

Foto/Crédito Divulgação

Com o auxílio da Empresa Potiguar de Promoção Turística (EMPROTUR), o hotel eSuítes Vila do Mar realizou a captação de um importante evento de viajantes do mundo, que faz parte da Rotary Brazil. O XL Brazilian YEO Meeting, promovido pela Associação Brasileira de Intercâmbio de Jovens (ABIJ), vai trazer ao Rio Grande do Norte o encontro dos Youth Exchange Officers do Brasil (Oficiais de Intercâmbio de Jovens do Brasil), que, além de debater ferramentas e formas de trabalho da associação, alia conteúdo e lazer.

O evento acontecerá entre os dias 15 e 18 de outubro de 2020, no Hotel eSuítes Vila do Mar Natal. A expectativa é de receber mais de 500 associados, sendo 50% brasileiros e 50% estrangeiros, além de seus familiares. São 146 países integrando a associação. “Os coordenadores da rede de intercâmbios do Rotary e os ex-intercambistas do mundo inteiro vêm discutir e alinhar ferramentas e formas de trabalho, aproveitando a oportunidade para conhecer o estado”, comentou a diretora do empreendimento, Emanuelle Barreto. “Em geral, os pais aproveitam a oportunidade para viajar junto com os filhos e o evento se potencializa transformando-se em uma viagem de trabalho e lazer”, completou.

“Uma das nossas propostas é fomentar as viagens e encontros de negócios aliados ao lazer. Por isso, vamos pensar em um roteiro que incentive esse grupo de turistas a conhecer outros destinos, além da capital, aumentando a sua permanência no estado, e movimentando toda a cadeia, com mais estadias e experiências no estado”, afirmou o diretor da Empresa, Bruno Reis.

Desde o segundo semestre de 2019, o RN tem realizado um reposicionamento diante do mercado. Um de seus pilares, é o segmento MICE Meetings (Encontros), Incentives (Incentivos), Conferences (Conferências) and Exhibitions (Feiras). “Apoiar a promoção do evento para estimular a vinda de mais participantes está dentro das propostas da EMPROTUR para 2020”, revelou Reis. “Além disso, apostamos no MICE para movimentar o estado na baixa temporada. São mais de 50 setores de atividades impactados e uma movimentação de mais de R$60 bilhões por ano no Brasil. O Rio Grande do Norte quer contribuir para que esses números sejam cada vez mais positivos”, declarou o diretor.

Continue lendo

Notícias

INEP libera resultado do ENEM 2019

Publicados

em

De

Foto/Crédito Divulgação

O resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 foi liberado nesta sexta-feira, 17 de janeiro, para os estudantes que já concluíram o Ensino Médio. As notas podem ser consultadas pela Página do Participante.

Veja o resultado do Enem 2019

Para os participantes que ainda não concluíram o Ensino Médio, os chamados treineiros, as notas serão disponibilizadas somente em março, junto com o espelho da redação.

Continue lendo

Notícias

ANA, AESA e IGARN fazem balanço de campanha de fiscalização na bacia do Piranhas-Açu

Ação de fiscalização rendeu multas para 39 usuários de água que não reduziram suas áreas irrigadas entre o açude Curema (PB) e o município de Jardim de Piranhas (RN) em 2019

Publicados

em

De

Daniel Cardim / Banco de Imagens ANA

Por meio de imagens de satélite de alta resolução e vistorias em campo, a Agência Nacional de Águas (ANA) tem acompanhado de perto os usos da água na bacia do rio Piranhas-Açu (PB/RN), especialmente no trecho paraibano entre o açude Curema (PB) e o município de Jardim de Piranhas (RN). Nesta região a ANA autuou 101 usuários de água que estava descumprindo o limite de 0,5 hectare para irrigação, conforme o termo de alocação de água dos açudes Curema e Mãe d’Água 2019/2020, vigente de julho de 2019 a julho de 2020. A Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (AESA) e o Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (IGARN) participaram, em conjunto com a ANA, de duas campanhas de fiscalização em outubro e novembro do último ano. 

Deste total, 39 usuários foram multados no total de R$ 97,3 mil por não terem reduzido suas áreas irrigadas, sendo que as multas poderão passar a ser diárias e chegar a R$ 10 mil por dia em caso de continuação do descumprimento da regra. Outros 22 irrigantes da região ficaram isentos de multa por terem voltado a cumprir o limite de 0,5 hectare irrigado, enquanto outros 16 seguem sob o monitoramento da Agência Nacional de Águas por estarem reduzindo sua irrigação. 

As notificações se referem ao descumprimento do limite de 0,5 hectare, o equivalente a meio campo de futebol, para irrigação por usuário. A determinação desta área máxima para irrigação busca assegurar água para abastecimento humano, que é o uso prioritário em situações de escassez, segundo a Política Nacional de Recursos Hídricos. A restrição também busca assegurar a continuidade das atividades de irrigação, mesmo com menos água disponível.  

A situação na região permanece crítica, já que o açude Curema está com apenas 7,66% de sua capacidade, que é de 56,99 bilhões de litros. No açude Mãe d’Água a situação é ainda mais grave, já que o reservatório acumula somente 6,47% de seu volume total de 35,27 bilhões de litros. O rio Piranhas-Açu continua em situação extremamente crítica devido à seca iniciada em 2013, que levou à queda do volume acumulado nos principais reservatórios da bacia, como o Curema e o Mãe d’Água. A irrigação chegou a ser totalmente suspensa em 2015 e o reservatório Curema atingiu seu volume morto em 2016. 

Devido à criticidade da situação, a ANA continuará com o trabalho da equipe de fiscalização juntamente com a AESA e o IGARN durante o período chuvoso na região, que vai de janeiro a junho. O objetivo é estimular que todos os irrigantes cumpram o limite de 0,5 hectare irrigado na região.

As equipes de fiscalização da ANA, da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (AESA) e do Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (IGARN) vêm percorrendo diferentes trechos do rio Piranhas-Açu entre a barragem de Curema (PB) e a localidade de Jardim de Piranhas (RN) para notificar usuários de água que estejam irrigando acima de 0,5 hectare, conforme definido no termo de alocação de água dos açudes Curema e Mãe d’Água. Este instrumento de regulação é utilizado em regiões com escassez hídrica e conflitos pelo uso da água e estabeleceu as condições de uso de recursos hídricos entre julho de 2019 e julho de 2020 na região. 

O rio Piranhas-Açu é gerido e fiscalizado pela ANA, por ser interestadual. A AESA e o IGARN gerenciam as águas subterrâneas e afluentes estaduais da bacia hidrográfica. 

O superintendente de Fiscalização da ANA, Alan Lopes, destaca que esta iniciativa da ANA, AESA e IGARN tem o objetivo de assegurar água para o abastecimento de aproximadamente 400 mil pessoas de cidades ao longo do rio Piranhas-Açu e de estimular o uso consciente do recurso na região. “A fiscalização e as penalidades aplicadas têm como objetivo maior conscientizar e mudar o comportamento de uma parte dos usuários que ainda irrigam acima do permitido”, destaca Lopes.  

Tanto a ANA quanto a AESA e o IGARN possuem um cadastro completo e georreferenciados dos 1.024 usuários existentes ao longo do rio, sendo que mais de 950 irrigantes já obtiveram outorga de direito de uso de recursos hídricos ou declarações de regularidade do uso da água a partir desta base de dados detalhada, que foi desenvolvida a partir de campanhas de campo realizadas ao longo dos últimos três anos. O monitoramento por imagens de satélite é feito continuamente pela equipe de fiscalização da Agência Nacional de Águas. 

Com o cadastro, regularização e maior controle dos usuários, foi possível permitir a irrigação de até 0,5ha por usuário, sendo que a área total irrigada atualmente é estimada em cerca de 590ha. Porém, ainda há usuários com áreas irrigadas acima do que é permitido atualmente e, por isso, os órgãos gestores estão trabalhando para coibir esta prática e estimular que os irrigantes cumpram o limite do termo de alocação.

Continue lendo