Conecte-se conosco

Esportes

Mais de 480 atletas brasileiros disputam Jogos Pan-Americanos de Lima

Comitê Olímpico Brasileiro mira segunda posição do quadro de medalhas

Time Brasil | Wander Roberto/COB

Publicados

em

Atletas brasileiros disputam, em Lima, no Peru, 49 das 61 modalidades da 18ª edição dos Jogos Pan-Americanos. Deste total, 22 disputas podem garantir vagas diretas para competir nos Jogos Olímpicos ou somam pontos para o ranking que classifica para Toquio 2020. A delegação brasileira reúne o recorde de 486 atletas nas disputas em busca de medalhas. Os Jogos de Lima registraram o maior volume de competidores de forma geral: seis mil atletas de 41 países competem em 417 eventos de 38 modalidades ao longo de dezessete dias.

A expectativa do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) é que o Brasil brigue pela segunda colocação no quadro de medalhas, assim como ocorreu na edição do Pan em 1963, na cidade de São Paulo. Na época, os brasileiros superaram o Canadá com um total de 52 medalhas: 14 ouros, 20 pratas e 18 bronzes. Os Estados Unidos lideraram a competição com 199 medalhas.

Entre os atletas com maiores chances de subir ao pódio estão onze medalhistas olímpicos: Mayra Aguiar e Rafaela Silva (judô); Rosângela Santos e Thiago Braz (atletismo); Arthur Zanetti e Arthur Nory (ginástica olímpica); Isaquias Queiroz e Erlon Souza (canoagem velocidade); Martine Grael e Kahena Kunze (vela); e Maicon Andrade (Taekwondo).

No atletismo, a delegação brasileira quer superar o fraco desempenho no Pan de Toronto, em 2017, cujo saldo se resumiu a duas medalhas. A equipe conta com 46 atletas entre homens e mulheres. As principais apostas estão concentradas em Darlan Romani (arremesso de peso), Alison Santos (400m com barreira) e Altobelli Silva (3000m com obstáculos).

A natação brasileira reúne a segunda maior equipe em Lima, com 35 atletas, entre homens e mulheres. A modalidade amealhou dez ouros nas últimas três edições do Pan (Rio de Janeiro, Guadalajara e Toronto). Entre os favoritos nas provas rápidas de nado livre estão Bruno Fratus (líder do ranking mundial nos 50m), Marcelo Chierighini (100m) e Fernando Scheffer (200m).  O brasileiro Guilherme Guido tem sido apontado como aposta na competição dos 100 metros da modalidade Costas. Nos 100m Peito, João Gomes e Felipe Lima também vão brigar por medalhas. Entre as mulheres, Etiene Medeiros vai à luta nos 50m Livre e nos 100m Costas.

Curiosidades

A delegação brasileira nesta 18ª edição dos Jogos Pan-Americanos registra a maior igualdade de gêneros desde o início do evento. Dos 486 atletas, 236 são mulheres (48,5%) e 250 homens (51,5%). Em 1951, a primeira edição do Pan, em Buenos Aires, na Argentina, havia apenas 22 brasileiras entre os 179 inscritos. Nas últimas edições, a média histórica de participação feminina do Brasil – aproximadamente 34% – começou a subir. Nos Jogos de Guadalajara, em 2011, elas representavam 45%. Na última edição, em Toronto, somaram  47,6%.

O recordista brasileiro em jogos Pan-Americanos é o velejador Cláudio Biekarck, de 68 anos. O Pan de Lima será o décimo na carreira do atleta. Com nove medalhas conquistadas, Biekarck é o mais velho da equipe. Dois anos mais novo, o velejador Gunnar Ficker (64) também está na disputa pelo pódio. No encontro de gerações do Time Brasil também estão duas atletas de 15 anos: a esgrimista Victória Vizeu e a Bia Mantellato, do polo aquático.

As diferenças extremas também aparecem no quesito peso: a atleta mais leve é Nicole Duarte, da ginástica rítmica, com apenas 40 quilos. Darlan Romani, do atletismo, levou o título de mais pesado da delegação brasileira com 155 quilos. Quanto à estatura, a atleta mais baixa é Flávia Saraiva, da ginástica artística, com 1,45 metros. Na outra ponta, Felipe Roque, da seleção masculina de vôlei, é o mais alto do Time Brasil, com 2,12 metros.

(Por Cláudia Rodrigues (Esportes/TV Brasil)  Rio de Janeiro)

Fonte: Agência Brasil

Continue lendo
Propaganda

Esportes

Neymar garante estar “perfeito” para jogo contra Real Madrid

“Estou perfeito, estou perfeito”, disse o camisa 10 a um jornalista.

Publicados

em

De

Foto/Crédito Divulgação

O atacante Neymar vem se recuperando de uma lesão na coxa esquerda e dúvidas sobre seu estado de saúde seguem pairando sobre os torcedores do Paris Saint-Germain. Na noite da última terça-feira, porém, o craque foi visto no aeroporto de Madri e deu fim aos rumores. Com informações da Gazeta Esportiva.

“Estou perfeito, estou perfeito”, disse o camisa 10 a um jornalista do programa El Chiringuito TV, no saguão do local, meio impaciente com os holofotes. A resposta veio em relação à partida contra o Real Madrid, pela Liga dos Campeões, na próxima terça-feira.

Neymar esteve na cidade espanhola para acompanhar a partida do tenista Rafael Nadal pela Copa Davis. O atual número 1 do mundo no ranking da ATP comandou a virada da Espanha sobre a Rússia, contra Karen Kachanov, por 6/3 7/5, em 2h12 de duelo. Foi a segunda rodada do grupo B no torneio – os outros resultados foram vitória de Andrey Rublev em Roberto Bautista-Agut e de Marcel Granollers e Feliciano Lopez sobre Khachanov e Rublev.

Por fim, como não podia ser diferente, o brasileiro foi perguntado sobre um possível retorno ao Barcelona, ao qual ele respondeu brincando: “sempre falam de mim”.

Neymar não atua desde o último dia 14 de outubro por conta de uma lesão de grau 2 na coxa, adquirida no amistoso entre Seleção Brasileira e Nigéria. Na última terça-feira ele voltou a treinar com o grupo e, segundo jornais internacionais, como o L’Équipe, ele pode entrar em campo contra o Lille, pelo menos alguns minutos, neste final de semana, pelo Campeonato Francês. O próximo compromisso da equipe, então, será o Real Madrid, pela Champions.

No nacional, o PSG é o líder da competição, com 30 pontos conquistados, oito a mais que o segundo colocado, o Olympique. Na Liga dos Campeões a história se repete: liderança do grupo A, com 12 pontos (quatro jogos e quatro vitórias).

Continue lendo

Esportes

Brasil vence Coreia do Sul e finda jejum no último amistoso do ano

Publicados

em

De

O triunfo sobre a Coreia do Sul, alcançado no último amistoso do ano, foi o primeiro do Brasil desde a final da Copa América - Foto: Reprodução/CBF

A Seleção Brasileira encerrou o jejum de cinco jogos consecutivos sem vitórias na manhã desta terça-feira. Diante de um público minúsculo no Mohammed Bin Zayed Stadium, o time comandado por Tite ganhou da Coreia do Sul por 3 a 0, resultado que alivia a pressão sobre o treinador.

No primeiro tempo, Lucas Paquetá abriu o placar de cabeça e Philippe Coutinho ampliou em cobrança de falta. Na etapa complementar, a Seleção Brasileira fechou o marcador com um golaço marcado por Danilo após passe do inspirado Renan Lodi.

O triunfo sobre a Coreia do Sul, alcançado no último amistoso do ano, foi o primeiro do Brasil desde a final da Copa América. Nos cinco jogos anteriores, a Seleção viveu jejum contra Colômbia (2 x 2), Peru (0 x 1), Senegal (1 x 1), Nigéria (1 x 1) e Argentina (0 x 1).

O Jogo – A Seleção Brasileira conseguiu inaugurar o marcador logo aos 8 minutos do primeiro tempo. Em jogada pelo lado esquerdo, Renan Lodi recebeu de Philippe Coutinho e cruzou. A bola desviou na marcação e ficou na medida para cabeçada certeira de Lucas Paquetá.

O time canarinho aumentou sua vantagem aos 35 minutos da etapa inicial, quando Fabinho sofreu falta na entrada da área. Na cobrança, Philippe Coutinho bateu colocado e viu a bola morrer nas redes, encerrando um longo jejum da Seleção Brasileira no quesito.

A Coreia do Sul teve em Son seu principal jogador e criou sua melhor chance nos minutos finais. Em cobrança de falta, Jung bateu direto e a bola passou pela barreira. Alison espalmou e Philippe Coutinho, na tentativa de ceder escanteio, chutou na trave.

Com trocas de passes envolventes no campo de ataque, o Brasil chegou ao terceiro aos 14 minutos da etapa complementar. Renan Lodi recebeu de Richarlison pela esquerda e deu belo cruzamento rasteiro. Do outro lado, Danilo completou com força para marcar um golaço.

O Brasil manteve o domínio da partida e o goleiro Alisson não correu grandes riscos no campo de defesa. Com vantagem significativa no marcador, a Seleção trocou muitos passes e não precisou investir na criação de novas oportunidades de gol.

O técnico Tite mexeu durante o segundo tempo e promoveu, inclusive, as entradas de Douglas Luiz e Emerson. Na última boa chegada do Brasil, Richarlison recebeu de Firmino pela esquerda e, na cara do gol, chutou para fora ao tentar toque por cobertura.

Fonte: GAZETA ESPORTIVA

Continue lendo

Esportes

Potiguar é eleito melhor jogador da Copa do Mundo Sub-17 vencida pelo Brasil

Publicados

em

De

Foto: Alexandre Loureiro/CBF

A seleção brasileira de futebol Sub-17 se sagrou Campeã Mundial neste domingo vencendo o México na final por 2×1. E o potiguar Gabriel Veron foi eleito melhor jogador do torneio. Natural de Assu, Gabriel tornou-se uma estrela instantânea do futebol e deverá receber convites para jogar em clubes de ponta a partir de agora.

Confira perfil que a CBF fez dele:

Nome: Gabriel Veron Fonseca de Souza

Nascimento: 03/09/2002

Cidade natal: Assu (RN)

Clube: Palmeiras

Seleção Brasileira Sub-17: 18 jogos (4 gols)

Era junho de 2018. Na Espanha, o Palmeiras Sub-17 enfrentava o Real Madrid na final do Mundial da categoria. Com apenas 15 anos de idade, o atacante Gabriel Veron deixou sua marca na vitória do Alviverde por 4 a 2, que consagrou o Verdão naquela tarde em Fuenlabrada. Mais de um ano se passou e agora Veron quer ser campeão mundial com a Seleção Brasileira. O atacante é uma das esperanças do Brasil na disputa da Copa do Mundo Sub-17, que será disputada no país.

Conheça Gabriel Veron, atacante do Palmeiras e da Seleção Brasileira Sub-17

Um herói

Homem-Aranha

Um ídolo

Deus

Uma frase

“Deus não dá o que você quer, Deus dá o que você precisa”

Um sonho

Ser campeão do mundo

Uma saudade

Meu avô

O que gosta de fazer na concentração?

Jogar videogame

Um livro

O Diário de um Banana

Série ou filme?

Série

Então, uma série…

Ponto Cego e O Atirador

Cantar ou dançar?

Dançar

Um estilo musical

Brega bregoso

Um cantor

Projota

A música que não sai da sua playlist

Hino da Vitória – Cassiane

Se não fosse jogador, seria…

Nunca pensei em outra profissão

Um jogo inesquecível

Palmeiras x Real Madrid, final do Mundial de Clubes Sub-17. Ganhamos por 4 a 2 e fomos campeões do mundo.

O que as pessoas não sabem sobre você?

Já tentei ser vaqueiro

Fonte: Potiguar Notícias

Continue lendo