Conecte-se conosco

Notícias

Investimento feito por brasileiros em imóveis no exterior cresce 240%

Os Estados Unidos, com destaque para a cidade de Orlando, continua sendo prioridade para os investidores

Foto: Crédito Divulgação

Publicados

em

Quem nunca sonhou em morar fora do Brasil ou investir em algum imóvel lucrativo no exterior? De acordo com a pesquisa Capitais Brasileiros no Exterior (CBE), organizada e divulgada pelo Banco Central, entre os anos de 2007 e 2017, o investimento feito por brasileiros em imóveis no exterior saltou 240%, saltando de US$ 1,8 bilhão para US$ 6,3 bilhões em apenas 10 anos.

Segundo o estudo, desse total de investimento, 33% – o equivalente a US$ 2,1 bilhões – foram realizados nos Estados Unidos, que ainda é o país mais procurado para fazer esse tipo de aporte, com destaque para a cidade de Orlando, indicada por várias pesquisas como a número 1 dos Estados Unidos para se investir no mercado imobiliário. Em 2017, o preço das casas na cidade saltou 9%. A expansão estimada para os próximos 3 anos é de 35%.

Com um olhar mais local, a Orlando Regional Realtor Association (Orra, a Associação de Corretores Regional de Orlando) mostrou que, na comparação entre 2018 e 2017, a média de crescimento dos imóveis na cidade foi de 5,7%, com o valor saindo de US$ 220 mil para US$ 232,5 mil. “Os motivos que levam os brasileiros a investir em casas no estado da Flórida, principalmente na cidade de Orlando, são muito simples: a valorização do imóvel e a possibilidade de locação, que também está em ascensão, tanto para brasileiros quanto para pessoas de outras nacionalidades que visitam a cidade”, explica o fundador e CEO da assessoria imobiliária internacional InvestorSInc, Leandro Teles.

CEO da assessoria imobiliária internacional InvestorSInc, Leandro Teles – Foto: Crédito Divulgação

De acordo com Teles, se for feito um comparativo mais longo, é possível entender como os investidores se beneficiaram com o aporte em imóveis, sobretudo em Orlando. “O preço médio de um imóvel na cidade cresce há 91 meses consecutivos, de acordo com a Orra. Em média, um investimento feito em julho de 2011 teria se valorizado 96% em 2019”, ilustra Teles, citando que, no Brasil, nos últimos cinco anos, o ganho foi de 35%.

Locação temporária

De janeiro a setembro de 2018, 95,8 milhões de pessoas visitaram a Flórida, um aumento de 6,7% em relação ao mesmo período de 2017, quando o total de visitantes atingiu 118,8 milhões. Somente no terceiro trimestre, 3,2 milhões de turistas estrangeiros (incluindo os canadenses) estiveram no estado americano. Segundo o Visit Orlando, a cidade isoladamente teve 72 milhões de visitantes em 2017.

Ou seja, o número de pessoas em trânsito ou com passagens rápidas por Orlando é uma ótima maneira de rentabilizar os imóveis. “Grande parte dessas pessoas procura uma estadia mais barata e que ofereça mais conforto e qualidade do que um quarto de hotel. Assim, os donos de casas de férias aproveitam esse contexto para viabilizar o seu imóvel na Disney”, completa Teles, citando que as hospedagens, devido à proximidade com a Disney, se mantêm em alta durante todo o ano.

Via Lucas | P+G Comunicação Integrada

Continue lendo
Propaganda

Notícias

UNINASSAU oferece triagem para atendimento odontológico adulto e infantil

Publicados

em

De

Foto / Crédito Divulgação

A UNINASSAU Natal esta com as portas abertas para atender a população através da Clinica Escola de Odontologia. A iniciativa faz parte de uma ação disciplinar envolvendo o curso de Odontologia, que de forma integrada realizará atendimentos nas áreas de Endodontia (canal), Dentística (restauração), Periodontia (limpeza), Exodontia (extração) e Prótese.

A triagem acontece nesta quinta-feira (21), o que não requer prévio agendamento. De acordo com a professora do curso de Odontologia, Mércia Cunha, todos os atendimentos serão realizados pelos preceptores. “Nossa clínica dispõe instalações modernas e confortáveis para atender a população de forma profissional, ética e de maneira adequada”, pontuou.

Ao buscar os serviços da Clínica Escola da UNINASSAU, o paciente será recebido  para triagem e logo em seguida encaminhado para o agendamento do atendimento, que ocorrerão de segunda a sexta, das 8h às 18h, dependendo do serviço.

A Clínica Escola da UNINASSAU, está localizada na Rua Antônio Queiroz de Melo – Capim Macio, Natal – RN, em frente à praça da arvore de Mirassol. Outras informações podem ser obtidas por meio do telefone (84) 3344-7809.

Serviço

Triagem gratuita de odontologia/ Clínica Escola da UNINASSAU  – Natal

Dia 21/03 – Quinta-feira das 8:30h  as 11:30h

Endereço: Rua Antônio Queiroz de Melo – Capim Macio, Natal – RN, 59078-290

Todos os atendimentos são gratuitos com exceção da prótese que o paciente paga o custo laboratorial.

Continue lendo

Notícias

Bolsonaro faz a primeira visita diplomática

O presidente e a comitiva de ministros voltam de Washington, capital dos Estados Unidos, nesta terça-feira (19)

Publicados

em

De

Foto: Crédito/Divulgação

Jair Bolsonaro fará nesta semana a primeira visita diplomática no exterior, juntamente com alguns ministros, para Washington, capital dos Estados Unidos.

Nos três dias de agenda, Bolsonaro e os ministros vão ficar no complexo da Casa Branca, local usado pelos americanos para receber chefes de Estado em visitas oficiais.

Segundo a programação do governo, nesta segunda-feira (18) Bolsonaro e sua comitiva terão compromissos na Câmara de Comércio dos Estados Unidos. Os ministros participam de debate sobre investimentos e, além disso, haverá assinaturas de acordo entre os dois países.

Na terça-feira (19), Bolsonaro será recebido pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na Casa Branca, e este encontro vai ser privado. Depois, eles vão almoçar e atender à imprensa.

A comitiva brasileira embarca de volta para o Brasil na noite desta terça-feira (19) e deve chegar no país na manhã de quarta-feira (20).

Fonte: Cintia Moreira | Agência do Rádio Mais

Continue lendo

Notícias

Seis em cada dez brasileiros não se preparam para aposentadoria

Orçamento apertado é principal justificativa. Meios mais comuns pretendidos para se manter nessa fase são investimentos em instrumentos financeiros e pensão do INSS. Já 37% dos entrevistados devem continuar trabalhando

Publicados

em

De

Foto: Crédito/Divulgação

O aumento da expectativa de vida do brasileiro impõe desafios, principalmente porque a maioria ainda não se planeja para garantir um futuro financeiro ao deixar de trabalhar. É o que revela pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Banco Central do Brasil (BCB). Os dados apontam que seis em cada dez brasileiros (59%) admitem não se preparar para a hora de se aposentar, enquanto apenas 41% têm se preocupado com essa fase da vida – percentual que chega a 55% nas classes A e B.

Entre os que não fazem qualquer tipo de plano financeiro para a aposentadoria, 36% alegam não sobrar dinheiro no orçamento e 18% atribuem à ausência de um plano ao fato de estarem desempregados. Para 17% não vale a pena guardar o pouco dinheiro que sobra no fim do mês. “Estima-se que a participação da população acima de 65 anos na sociedade brasileira passe dos atuais 9% para 25% em 2060, segundo projeções do IBGE. Será cada vez mais importante começar a pensar em uma complementação ainda jovem e não apenas quando se aproxima do momento de parar de trabalhar”, avalia a Economista-Chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

A pesquisa também identificou os meios mais comuns de se preparar para a aposentadoria. São eles as aplicações financeiras (42%), principalmente a previdência privada (20%), e outros ativos financeiros, como ações, títulos ou fundos (20%). Para 35%, os recursos do INSS servirão de renda e 16% dizem que dependerão de terceiros, tais como cônjuges, filhos ou outras pessoas da família. Já 37% dos pesquisados disseram que, ao se aposentar, pretendem continuar ativos no mercado de trabalho.

39% não conseguiriam arcar com imprevistos hoje e 20% não sabem o tempo que manteriam o padrão de vida em caso de dificuldades 

O estudo buscou ainda saber de que forma os brasileiros lidam com situações inesperadas no dia a dia, do ponto de vista financeiro. Foi constatado que 39% não seriam capazes de arcar com gastos imprevistos, equivalentes ao seu ganho mensal, sem recorrer à ajuda de terceiros ou a um empréstimo. Por outro lado, quatro em cada dez (42%) teriam condições de cobrir despesas extras desse tamanho. No caso de dificuldades financeiras, os entrevistados ouvidos disseram que conseguiriam sustentar, em média, até cinco meses o padrão de vida atual. Chama a atenção o fato de 20% não saberem por quanto tempo manteriam o mesmo patamar.

Na possibilidade de virem a enfrentar algum problema financeiro, 47% garantem que cortariam despesas desnecessárias, ao passo em que 33% avaliariam quanto ganham e gastam para decidir o que fazer – proporção que aumenta para 48% nas classes A e B. Já 13% reconhecem que não saberiam por onde começar e teriam medo de encarar a verdadeira situação financeira.

“É preciso entender que em certas situações emergenciais, nem mesmo cortar gastos será suficiente para resolver o problema. Manter uma reserva financeira é fundamental em qualquer etapa da vida, pois imprevistos podem acontecer a qualquer momento. Recomenda-se ter disciplina para começar, mesmo que seja com um valor pequeno. Poupar e investir regularmente – mesmo que pequenos valores – acaba trazendo um bom resultado”, explica o Chefe do Departamento de Promoção da Cidadania Financeira do Banco Central, Luis Mansur.   

Metodologia 

A pesquisa foi realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Banco Central do Brasil (BCB). A amostra de 804 casos contempla as 27 capitais, pessoas acima de 18 anos, todas as classes sociais e ambos os gêneros. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%. Baixe a íntegra da pesquisa em https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas

Sobre o SPC Brasil – Há 60 anos no mercado, o SPC Brasil possui um dos mais completos bancos de dados da América Latina, com informações de crédito de pessoas físicas e jurídicas. É a plataforma de inovação do Sistema CNDL para apoiar empresas em conhecimento e inteligência para crédito, identidade digital e soluções de negócios. Oferece serviços que geram benefícios compartilhados para sociedade, ao auxiliar na tomada de decisão e fomentar o acesso ao crédito. É também referência em pesquisas, análises e indicadores que mapeiam o comportamento do mercado, de consumidores e empresários brasileiros, contribuindo para o desenvolvimento da economia do país.

Sobre a CNDL – Criada em 1960, a CNDL é formada por Federações de Câmaras de Dirigentes Lojistas nos estados (FCDLs), Câmaras de Dirigentes Lojistas nos municípios (CDLs), SPC Brasil e CDL Jovem, entidades que, em conjunto, compõem o Sistema CNDL. É a principal rede representativa do varejo no país e tem como missão a defesa e o fortalecimento da livre iniciativa. Atua institucionalmente em nome de 500 mil empresas, que juntas representam mais de 5% do PIB brasileiro, geram 4,6 milhões de empregos e movimentam R$ 340 bilhões por ano.

Fonte: CNDL | SPC Brasil

Continue lendo